Rogue Legacy

07 maio 2015
Posted by FireMaster
Rogue Legacy é um jogo estilo roguelike(por isso o nome, hã hã) onde você controla um personagem que quer se vingar de quem tomou o lugar do rei e conseguir a honra para sua família. E como cada pessoa nasce diferente, sempre que você escolher um herdeiro, ele vai ter características únicas.



Sim, porque você vai morrer muito, e cada vez que você morre você pode comprar upgrades(que aparecem na forma do seu castelo crescendo) ou comprar itens e runas. Tudo isso te deixa mais forte pra nessa vida você ganhar mais dinheiro para comprar mais upgrades e assim em diante.

A maioria dos itens e runas são encontrados em baús ao longo do castelo, normalmente as runas exigem algum tipo de desafio para abrir o baú, enquanto os itens é só chegar e pegar (mas os itens mais fortes ficam nas partes mais difíceis do castelo).


Existem diversas classes, sendo que muitas são liberadas por meio de upgrades, e todas possuem vantagens e desvantagens. Quase todas também permitem comprar upgrades que dão uma habilidade especial a elas, exceto a de Dragão (sim, você pode jogar como um meio-homem, meio-dragão).


Enfim, é um jogo bastante divertido e barato, com um conceito que achei bem legal. Serve para gastar bastante horas tentando chegar ao fim do jogo, apesar de algumas partes serem bastante repetitivas.

O lado hipócrita de cada um

03 fevereiro 2015
Posted by Fly Light
Esse texto é mais uma reflexão do que uma resenha de “Jimi: All Is By My Side”.
Contém spoilers.

Nota do IMDB: 5,5

Aqui está um dos trailers do filme


O filme é dirigido e roteirizado por John Ridley, e a forma como consegue passar o ambiente dos anos 60 é fenomenal. Não espere por músicas que tornaram Jimi uma lenda pois o filme foi feito sem o consentimento de sua família, e logo vocês vão entender o motivo.

Inicialmente somos apresentados para o grande talento Jimi Hendrix(Andre 3000), um desperdício total de virtude que está sendo assistido por Linda Keith(Imogen Poots) e é a partir deste ponto a história se desenrola em um ritmo muitas vezes lento, todavia nem de longe é cansativo.

Temos figuras icônicas no filme como Paul Mcartney, Eric Clapton, George Harrison, Keith Richards. Todos não passam de “participações especiais”, são poucas cenas em que eles aparecem. O foco inicial é em Jimi e Linda, porém ao decorrer muda para Jimi e Kathy Etchingham, e essa é a parte que fez a família de Jimi ficar no mínimo chateada.

É criada toda uma atmosfera de amor e de um certo ciúmes de Linda com o casal, todavia isso fica superficial diante do que vem a seguir. Primeiramente temos uma cena onde Kathy é humilhada com diversos xingamentos no estúdio, e Jimi não faz absolutamente nada. Saindo da gravação Jimi ignora completamente sua presença e o resultado é violência mutua. No chão os dois se entendem e começam a beijar, pareceu querer passar a ideia de casal “louco apaixonado”. Entretanto no decorrer do filme, temos cenas em que pasmem: Jimi bate nela com um telefone, e logo após a volta da amada lhe escreve uma música como pedido de desculpas.

Este é filme não é para idolatrar o talento, e sim para mostrar que só porque é um excelente profissional não é necessariamente assim na sua vida pessoal, e vice-versa. A atuação de Hayley Atwell está ótima, e conseguimos perceber as dúvidas na mente de Kathy e o misto de medo e amor.

Podemos observar em outras cenas racismo com Jimi, e em outras ele reafirmando seus ideais de mudar o mundo com amor. Essas camadas são menos exploradas, mas tem e muita importância para ambientar o cenário da época de desigualdade e hipocrisia.

Muitos retratados nele vieram se posicionar contra o filme desde o início de sua produção. Podemos descrever como no mínimo ousado, e que não abrange toda a vida de Hendrix em prol de um desenvolvimento melhor de outros personagens.

Ficção ou realidade? Talvez um pouco dos dois, um filme para ser assistido como uma reflexão, repense nos seus atos e nos seus ídolos, e não deixe a hipocrisia reinar.

Árvores velhas

15 janeiro 2015
Posted by FireMaster
Elas não gostam de ficar paradas em asilos não.


Então, já que toda vez que vaza fotos de uma mulher pelada ou um cara espalha vídeo dele transando com uma mulher(normalmente ex-namorada ou ex-esposa dele), sempre surge um grupo de pessoas dizendo "se não queria que vazasse, não tire as fotos/não grave o vídeo" ou variações disso, mas vamos pensar: é a mulher realmente a culpada?

Se ela é culpada por ter confiado no marido/namorado/ficante/amigo, significa então que uma mulher não pode confiar em nenhum homem porque a sociedade dá direito a eles de fazer o que quiserem, mesmo que prejudique a imagem da mulher? Ou que ela não pode confiar em ninguém com quem ela tem um relacionamento, porque qualquer um pode enganar ela? Acho que essa não é uma sociedade em que quero viver.

O "se não queria que vazasse, não tire as fotos" também parte de um conceito que basicamente diz "não faça nada que você queira se você não quer correr riscos", que é usado em diversos casos de culpabilização da vitima, por exemplo: "se não quer ser assaltado, não compre nada caro"; "se não quer sofrer homofobia, não aparente ser gay em publico"; "se não quer ser estuprada, não use roupas provocativas". Qual o problema desse pensamento?

É que o ser humano é livre para comprar o que quiser com o próprio dinheiro, livre pra tirar fotos do próprio corpo, livre pra usar as roupas que quiser e livre pra ter a orientação que quiserem, o que é errado é roubar, espalhar fotos de outras pessoas peladas sem permissão, estuprar ou ser homofóbico. Então não faz sentido culpar quem não fez nada de errado, apenas quem fez deve ser punido.

Ainda tem o argumento de "ela sabia dos riscos, então tem parte da culpa sim". Veja bem, TUDO na vida tem riscos, algumas coisas riscos maiores que outras. E vamos pensar, corredores de Formula 1, eles sabem dos riscos que correm, no entanto quando acontece um acidente que um deles morre, a maioria das pessoas(eu ia falar ninguém, mas sempre tem uns trouxas) não fala "ah ele sabia dos riscos, então ele tem culpa na própria morte sim". Então por que para as mulheres que tiraram as fotos tem que ser diferente?

Então a conclusão pra mim é: ela foi trouxa de confiar nele, sim, mas isso não signifique que ela merece o que ele fez com ela. Ou ele, caso aconteça com homens, mas é bem raro. E normalmente não são tão criticados. Ao invés de xingar a mulher de vadia e dizer que ela merece que as fotos dela vazem, por que vocês não criticam os homens que espalham elas e falam pra eles serem menos babacas?
Esse jogo foi lançado há meses, eu joguei há uns 2 meses também e por que eu não escrevi antes? Bom, eu não senti vontade. Mas vou escrever agora, se preparem porque vai ser algo a se parar e pensar(não falei pensar no quê!!!).


O jogo é um RPG em terceira pessoa que conta a história de Talion, um homem que vê a família ser morta e logo após isso é morto mas retorna ao mundo dos vivos por causa de uma ligação espiritual com um espírito élfico que quer descobrir seu próprio passado. Então eles saem por Mordor em busca de vingança para o humano e artefatos do passado do elfo.

Eu gostei bastante da história e do ritmo, inclusive achei melhor que os filmes do Hobbit como uma história da terra-média (acho os filmes muito lentos e longos). Enfim, gera questões sobre a personalidade do Celebrimbor, se suas ações estão ajudando o mundo e tal.


Em Shadow of Mordor você ganha experiência ao matar uruks, libertar escravos e completar missões e ganha Poder ao derrotar capitães. Experiência serve para ganhar níveis e a cada nível você pode aprender uma habilidade. Poder permite que você aprenda habilidades de outra camada, normalmente mais poderosas.

O sistema de nemeses é muito interessante porque depois de morrer 3 vezes para um mesmo capitão você fica com medo sempre que ele aparece, ou então quando você mata um deles e encontra ele de novo, faz você pensar "POR QUE VOCÊ NÃO CONTINUA MORTO?". Esse sentimento gerado por NPCs é sempre bom, te faz se sentir mais ligado ao mundo.

No fim, é um jogo muito bom, sugiro a todos jogarem.

Top 10 músicas de fossa

16 dezembro 2014
Posted by FireMaster
Sabe quando você está naquele momento triste, pensando em algo na vida que não deu certo, um amor não correspondido, uma traição que sofreu e outras coisas que te deixam na bad? Então, tudo que você precisa nesses momentos é ouvir músicas que combinam com o sentimento e eu fiz um rank das 10 melhores(na minha opinião):

10. Cowboy Bebop - Gotta Knock a Little Harder

9. Keane - Watch How You Go

8. Jorge Aragão - Eu e Você Sempre

7. Gian & Giovani - Convite de Casamento

6. Natalia Kills - Devils Don't Fly

5. Chitãozinho & Xororó - Página de Amigos

4. Bonnie Tyler - Total Eclipse of the Heart

3.Radiohead - Creep

2. Leandro e Leonardo - Não Aprendi Dizer Adeus

1. Bruno e Marrone - Dormi na Praça
O jogo Counter-Strike: Global Offensive lançou alguns dias atrás o pacote "Operation Vanguard", que entrega 6 novos mapas, uma nova caixa que possui novas skins de armas e várias missões por 5,99 doláres(ou 14,49 reais).


As armas que a caixa da Operation Vanguard possui podem ser vistas aqui.

Fantasmas Assustadores

09 novembro 2014
Posted by FireMaster
As vezes eles nem queriam causar tanto dano assim:
Hearthstone é um jogo de cartas no estilo Magic the Gathering, Yu-gi-oh! ou outros jogos onde você tem cartas que representam criaturas, magias, armadilhas, essas coisas. Se você tem mais que 12 anos você provavelmente já viu algo sobre jogos desse tipo, eles são bem comuns, mas as costumam custar caro.


E em Hearthstone as cartas também são caras.O jogo é grátis, possui 9 classes que você tem que ir liberando(você começa como Mago e libera cada uma quando vence contra ela). Cada classe possui uma habilidade especial para ser usada durante o jogo. No começo o jogo é bem chato, porque você vai poder usar as cartas grátis mas não tem muitas opções, elas só começam a vir quando você começa a comprar cartas.
Você pode comprar pacotes de 5 cartas usando 100 de ouro(moeda do jogo que você ganha com vitórias ou completando missões diárias) ou com dinheiro real. Também é possível criar cartas individuais usando o Modo de Criação, mas para isso você precisa de poeira que você consegue "desencantando" cartas que você tiver conseguido nos pacotes. Mas depois de conseguir diversas cartas, você pode fazer decks muito bons, usar táticas diferente e tal.



No Modo Aventura você também pode comprar aventuras onde enfrenta chefões, bots com decks e habilidades especiais, cada um exigindo táticas diferentes. Após derrota-los, você ganha cartas para poder usar no seu deck.
Eu acho o jogo divertido, apesar de as vezes ser chato ver pessoas vencendo só por terem mais cartas lendárias e demorar semanas para conseguir jogando ou dezenas de reais comprando as cartas.

Jogando Dwarf Fortress

31 outubro 2014
Posted by FireMaster
Para quem não conhece, Dwarf Fortress é um jogo com 2 modos: Fortress e Adventure. Os mapas do mundo são todos gerados aleatoriamente e o gráfico do jogo é em ASCII, o que faz parecer que é um jogo leve, mas com o tempo ele vai exigindo mais e mais da sua CPU. No modo Fortress você dá comandos e seus anões executam as tarefas, mas você não comanda eles diretamente.

Mundo criado pelo jogo aleatoriamente.

Para vocês que quiserem aprender mais facilmente como jogar, a Dwarf Fortress Wiki tem vários guias para quem estiver começando(e até para quem já for experiente). É possível usar outros programas para ajudar a gerenciar os anões, para sons do jogo, para mudar o gráfico do jogo(se você não gostar muito do ASCII).

Tela inicial do jogo.

Após criar o mundo, você escolhe um lugar para desembarcar sua trupe, que consiste de 7 anões. Então você tem que criar fazenda, cavar o chão(afinal de contas são anões), criar quartos, essas coisas. De tempos em tempos você receberá anões imigrantes para trabalhar com você e caravanas para fazer trocas com vocês.

Eu acho o jogo muito legal, e sugiro para vocês jogares se gostarem do estilo de jogo. É bem difícil, mas a dificuldade faz parte da diversão :)
Search

Popular Post

- Copyright © Praticamente Inofensivo -Robotic Notes- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -